Skip navigation

Category Archives: design

próxima aquisição fashion é a edição de fevereiro da wonderful dazed & confused que traz na capa magdalena frackowiak (no. 17 no ranking da models.com) pelo fotógrafo josh olins. styling da editora katie shilingford com vestidos conceito incríveis da nova coleção de viktor & rolf. essas imagens já estão rolando na net há alguns dias, mas vale a pena ver e rever sempre. moda arte, tecnologia e sensibilidade. como a própria dupla de criadores explicou, “é natural procurar caminhos que transformam o show em algo maior do que uma experiência”. eu acho!

.

Anúncios

christian marclay é um artista plástico e performer americano que mora em nova york. segundo a fundação serralves, “desde 1979, marclay tem experimentado com técnicas de ‘sampling’ quer sonoras quer visuais, explorando as justaposições entre estas duas dimensões da expressão e da percepção.” e um dos seus trabalhos mais bacanas é ‘body mix’ (1991), que traduz em geniais imagens o verdadeiro bom humor pop.

.

os acessórios da marca britânica  ‘stolen thunder‘ são incríveis! eu quero tudo, meu deus! são brincos, broches, pulseiras e anéis divertidos e delicados. mas o que eu quero mesmo são os colares. aquele da gaiola é genial! há peças em acrílico e com couro, mas as must have são as feitas em madeira cortada a laser. com uma atmosfera feminina, as peças remetem ao folk  urbano. e moderno. os preços são acessíveis e eles entregam no brasil. e natal tá aí!

.

gs_jl1

 

exposição permanente desde 2006 no hall de entrada do museum kunst palast, em düsseldorf (alemanha), ‘the vegetative nervous system’ é uma delicada obra dos suíços gerda steiner & jörg lenzlinger. pendurado em uma altura de 20 metros, como o nome sugere, é um emaranhado do “sistema nervoso vegetativo” que pode ser observado e absorvido de várias maneiras, por vários ângulos diferentes. como luce beaulieu descreve: “é um exemplo incrível do zeitgeist visual e da obsessão que nós, designers gráficos, temos neste momento com diversos temas botânicos e sua relação com a psique”. mas nem é preciso conceituar tanto: a obra é muito linda e pronto!

 

gs_jl2

gs_jl3

gs_jl4

.

menos haute couture que phillip treacy, mas muito luxo de qualquer forma. assim são os chapéus hand made da também londrina chapeau claudette que segue o conceito: “cada um tem um rosto único, então todo rosto merece um chapéu único”. à venda na topshop, é o tal do cheap and chic. eu quero!

 

hat1 hat2

hat3 hat4

hat5 hat6

 

mais uma dica luxo da mona: o desfile primavera/verão 3001 de jean-charles de castelbajac feito inteiro de lego. atóron o diabo ao lado de anna wintour na platéia…

.

saveanna

designer gráfico e ilustrador, por seis anos christopher lee sauvé trabalhou em agências no canadá e em new york. atualmente faz freelas e tem entre seus clientes nomes como ‘the new york times’ e o brasileiro giovanni bianco. mas talvez ele seja mais conhecido por assinar os projetos gráficos de diane von furstenberg. até agora. porque sauvé começou uma divertida campanha para salvar o emprego de anna wintour (dizem por aí que ela será demitida da ‘vogue américa’). sob o slogan ‘save anna’, o designer justifica: “nós já salvamos britney. podemos salvar anna”. se a moda vai pegar, eu não sei… mesmo porque, eu prefiro carine roitfeld. mas o próprio apela aos fashionistas: “pegue este desenho e faça uma t-shirt, um adesivo, coloque no profile do facebook ou um pôster”. heh.

panfletagem fashion sempre é bas-fond!

.

bom humor e atmosfera retrô traduzem toda a criatividade de graham rawle. utilizando técnicas diversas — instalações, colagem, fotografia e design –, o escritor britânico começou a ter visibilidade no início dos anos 90, quando suas séries ilustraram publicações como the observer e the sunday telegraph magazine. nos anos seguintes, divertidos livros adultos (com linguagem infantil) chegaram às prateleiras gringas consagrando o talentoso artista. o ápice foi em 2005, depois do lançamento do aclamado ‘woman’s world’ que, segundo o the times, é “um trabalho de um gênio”. mais do que a história de ‘norma fontaine’, que está sendo transformada em filme, a maravilha está na construção do texto: rawle recortou e colou frases e palavras de revistas femininas dos anos 60. precioso e luxuoso! seu próximo projeto será lançado no mês que vem e já é meu objeto de desejo absoluto: ‘the wizard of oz’ com ilustrações em escala 1:6… adoooro!

 

 

‘pardon mrs arden’

 

‘wonder book of fun’

 

‘lost consonants’

 

‘woman’s world’

 

‘the wizard of oz’

.

a questão do lixo realmente me preocupa. uma pessoa gera de 500 g a 2 kg de lixo por dia, dependendo da região que mora e de seu poder aquisitivo. não dá para controlar depois que ele sai de casa, mas separá-lo é tão importante quanto não jogá-lo no chão: o básico da educação e da sobrevivência. mas o melhor mesmo é fazê-lo com estilo! e isto já é possível, pelo menos no japão (onde mais?)! a empresa maq inc. criou uma série de sacos que aplica o conceito de design até no lixo! um luxo!

  

.

broken label

 

mais do que diretora de clipes e comerciais, a japonesa nagi noda é uma verdadeira artista multimídia: fotógrafa, designer de toy art, responsável pelo conceito do extinto horror cafe e dona da marca broken label (à venda na colette). já colaborou com mark ryden e teve trabalhos super premiados, em cannes inclusive. surreal, com muita sensibilidade e bom humor, mistura a doçura com o sanguinário — estética tão característica dos nipônicos. mas o que realmente chamou a atenção geral nos últimos tempos foi o projeto ‘hair hats’. com fios de cabelo sintéticos, ela criou os mais incríveis e absurdos chapéus. um ahazo!

 

 

hanpanda

 

do curta ‘ex-fat girl’

 

-steel works-

.

instituto souza cruz

 

designer gráfico formado pela universidade federal de santa maria (rs), carlo giovani atualmente é um dos principais profissionais da área. professor na escola são paulo de toy art em papel, trabalhou na editora abril até que, em 2002, abriu seu próprio escritório de design, animação e ilustração. atende todos os tipos de clientes, em todas mídias! entre eles estão a elma chips, havaianas, nike, além de publicações nacionais e internacionais. também é responsável pela abertura do ‘gordo freak show’, da mtv. com ilustrações livres feitas à mão, elegância e sofisticação são impressos. mas é a toy art aplicada que garante às suas imagens o lúdico e contemporâneo característicos de seu criativo trabalho.

 

chinese tea box

 

 

superinteressante                                       new york times

 

capricho

 

‘bossa nostra’, nação zumbi

.

o designer loïc sattler nasceu na frança, em 1980. aos 18 anos, investiu na carreira de multimídia e artes (estudou em paris e stuttgart) até que, em 2003, abriu o [lsd] lysergid — seu portfólio online. é onde encontramos não só seus projetos pessoais, como também os profissionais (inclusive com amigos e colaboradores — giovanni bianco, entre eles). com uma arte digital delicada, colorida e orgânica, conquistou grandes clientes no mercado mundial como adidas, coca-cola, bmw, warner bros, unicef, sony e armani. o designer já expôs não só na frança, como também na suíça, eua, alemanha, espanha. um luxo!

 

.

 

o design das embalagens é tão incrível que já faz os candies da route 29 valerem à pena. caramelos, chocolates, balas de alcaçuz, nozes, açúcar aromatizado… todos os produtos são entregues (em casa) de uma forma divertida e com uma atmosfera retrô irresistível! responsabilidade do escritório hartumg kemp, que reestruturou toda a parte gráfica da marca, além de dar nome aos doces. e o melhor é o preço: o mais caro custa 36 dólares e o mais barato, apenas 2!

 

 

.

tatjana quax trabalhou por um tempo como stylist na elle holanda, mas o melhor de seu currículo veio depois — quando fundou com seu marido, ben lambers, uma agência incrível: a studio aandacht! desde 2002, como os próprios dizem, é uma empresa de “cultura comercial” responsável por projetos que envolvem todo tipo de comunicação visual. eles atendem desde museus e web a livros e revistas, sempre com uma liberdade criativa que celebra a originalidade.

‘pretty dutch’

 

 

‘moooi’

 

‘moooi’

 

‘claesens’

 

‘pakhouis oost’

.

kustaa saksi nasceu na finlândia, mas mora em paris, e é um dos grandes nomes do design mundial. com uma arte digital, as formas orgânicas divertidas e a colorida psicodelia imprimem seu estilo em editoriais, campanhas, instalações, capas de álbuns e singles, estampas de roupas. swarovski, diesel, lacoste, ny times, nylon magazine, playboy, samsung, mereceds benz, issey miyaki, husky rescue e havaianas fazem parte de sua extensa lista de clientes. ele já expôs seu trabalho em galerias ao redor do mundo e prova que, no mundo do design, a linguagem é universal.

 

.

delicadas flores contrastam com a dureza do concreto. trata-se da ‘concrete art’, projeto realizado pela transparent house. a empresa americana, sediada em são francisco, inova na customização do lar doce lar — popularizada pelos adesivos de parede — e transforma o chão em mais do que o lugar onde se pisa. é também onde se olha! “para nós, é sempre excitante descobrir aspectos novos e não costumeiros dos objetos diários que nos cerca”, dizem. “e isto não é menos excitante do que dividir nossas descobertas e visões com vocês”. luxo!

.

marion

 

essas bonecas são tão perfeitas que não entram na categoria toy art, graças à riqueza dos detalhes. estão elevadas ao status de obra de arte, como as criadas por ryoichi yoshida, em seu estúdio pygmalion, no japão. o artista constrói e fotografa bonecas que transmitem uma assustadora sensação de vida. outras dolls são digitais, como as de marion. e o que esses dois artistas japoneses têm em comum? mais do que criar imagens entre uma delicadeza agressiva e sensualidade inocente, eles são capazes de fazer com que os espectadores confundam arte com realidade.

 

ryoichi yoshida

.

sakura (flor de cerejeira, em japonês) é sagrada e símbolo da terra do sol nascente. quando a neve já derreteu, florecem por duas semana apenas, anunciando a chegada da primavera. e, há mais de 10 séculos, assistir este fenômeno nos parques é tradição japonesa: o hanami. as pessoas sentam embaixo das árvores para fazer picnic e beber sakê.

o espetáculo dura ao todo 2 meses: em março, começam a florescer no sul, em okinawa, e vão até hokkaido, no norte — a ‘sakura zansen’, que literalmente signinfica ‘linha de frente da cerejeira’.  muitas pessoas seguem um verdadeiro roteiro turístico pelo país em busca da transformação das paisagens japonesas. e este ano não foi diferente. mas, quem passou por tokyo, teve mais do que o desabrochar das flores sagradas para ver — teve também o sakura cafe.

mais um projeto incrível da kda, em apenas 1 mês, cadeiras e mesas foram produziram não só para celebrar o hanami, mas também o aniversário de primeiro ano do super-complexo futurista tokyo midtown. os móveis ficaram outdoor e resistiram as duas semanas que as cerejeiras estiveram floridas — além de milhares de visitantes. blocos de plástico (polistreno) cobertos por acrílico rosa (uretano), em forma de sakura, foram distribuídos ao longo de todo o parque. assim, a dupla de designers desenvolveu um cenário lúdico muuuito lindo (who cares about the flowers?)! arrasaram de novo!

.

lillith deu a dica do que, para muitos, é considerado o “chanel no. 5” dos chocolates. alice chocolate é produzido manualmente com a límpida água dos alpes e com o sustentável cacau da amazônia. mantendo a tradição dos melhores chocolates do mundo serem suíços, é puro, livre de estabilizantes e aditivos, com 68% de cacau — o que garante sabor e textura inigualáveis.

a embalagem é linda! minimalista, com o perfil vitoriano da alice que inspira o nome (‘alice in wonderland’, alice waters, alice b. toklas, entre outras). uma caixa com 35 gramas custa 30 dólares — é vendido, por exemplo, na selfridges (londres), multimarca que tem em suas araras nomes como prada, chloé, d&g. até mesmo para mim, que não sou fã de doces, vira objeto de desejo. é o luxo em barras.

.

neste site francês, você encontra os detalhes que fazem toda a diferença: coleções de objetos, criados por designers e artistas, unem o funcional com o estético para transformar sua casa em uma galeria particular de arte. domestic.fr, lançado em setembro de 2005 e conduzido pela dupla sthéphane arriubergé e massimiliano iorio, conta com nomes como jeremy scott e fabien baron — além da curadoria da colette. com edição limitada, adesivos de parede, espelhos, vasos e pratos diferenciados viram objetos de desejo. e você ainda pode participar deste coletivo, mandando imagens de stickers da sua casa e, no final da competição, a dupla arriubergé & iorio escolhe os três melhores. très chic!

 

‘zoo cochon’, adrien gardèren

 

‘domestic x colette x baron’, fabien baron

 

‘cloud’, mike e katie

 

‘i love me’, ich&kar

 

‘spring and autumn dishes’, rolito

.