Skip navigation

eu amo clipes! ‘smack my bitch up’ do prodigy, por exemplo, é um dos videos mais bafos que eu já vi. passados 11 anos, ainda é proibido em muitos países (celebra o junkie em plena era heroina chic). ‘ray of light’, da madonna, completa 10 anos e é um dos melhores clipes dela — premiadíssimo no vma 98! fora que remete total ao começo da era tom ford, na gucci. e, ainda naquele ano, ‘my favourite game’, do the cardigans, foi proibido (mesmo com 3 finais diferentes) porque nina persson dirige com uma pedra no acelerador do carro. eu não gosto de metallica, mas o video ‘whiskey in the jar’ tem seu valor porque celebra o fim da era heroína chic. hoje em dia já virou lugar-comum, mas era bafo na época. ‘music’, da madonna, traduz o começo do milênio. a musa aparece bronzeada e saudável, com cabelos à la bündchen e rica, dando bafo na limo e no streap-club. mas, de todos estes e outros videos  não citados, o que eu mais gosto atualmente é ‘country girl’, do primal scream. ele nem é tão novo assim (lançado em 2006), mas remete tanto a um passado não tão remoto da minha vida, que é impossível não me identificar com ele. 

spun 

o que todos esses videos tem em comum é simples: jonas akerlund. este diretor sueco já é um dos principais nomes mundiais quando o assunto é clipes. todo mundo que é alguém na noite (ou já foi) trabalhou com ele — de blink 182 e u2 a iggy pop, rolling stones e blondie. por isso que eu me interessei em assistir ‘spun’. lançado em 2002, foi o debut de akerlund no cinema como diretor e editor. billy corgan ficou responsável pela música e até fez uma ponta como o médico do filme. o elenco é formado por brittany murphy (‘girl, interrupted’, ‘sin city’) como a junkie gostosa ‘nikki’; mickey rourkey (‘sin city’, ‘grind house’) como o químico ‘the cook’; mena suvari (‘american beauty’, ‘edmond’) como ‘cookie’, a namorada super-junkie do dealer ‘spider mike’,  john leguizamo (‘romeo&juliet’, ‘moulin rouge’). debby harry faz o papel da vizinha sapatão punk de ‘ross’, jason schwartzman (‘bewitched’, ‘marie antoinette’).

quer dizer, tinha tudo para ser um sucesso cult. mas akerlund não deu conta. o filme é parado, falta agilidade. narra 72 horas da vida destes viciados em anfetamina sem apresentar nada de novo. ‘trainspotting’, lançado em 1996 por danny boyle, e ‘requiem for a dream’, de 2000 por darren aronofsky, são bem melhores. mas, tenho que admitir que a fotografia, a direção de arte, a trilha sonora e principalmente a parte gráfica de ‘spun’ são incríveis. como em ‘music’, há a mistura de película e animação. além disso, vale muito à pena dar uma passada no site oficial do filme. mas se você quer conhecer o melhor de jonas akerlund, veja só os video-clipes mesmo… fica a dica!

.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: